• 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Artigos sobre Webdesign e optimização de sites

Google abandona Autoria nos resultados de pesquisa

Depois de três anos, a grande experiência de Autoria nos resultados do Google chegou ao fim.

Em 28 de Agosto de 2014 John Mueller do Google Webmaster Tools anunciou numa postagem do Google+ que o Google ia deixar de mostrar resultados de autoria nas suas pesquisas, e deixaria de rastrear os dados de conteúdo usando a marcação rel=author.

Uma Breve História do Google Authorship

Afinal o que é (foi) o Google Authorship (Autoria para o Google)?
As raízes do projeto de autoria remontam a 2007, à patente do Google’s Agent Rank. Como explicado por Bill Slawski, especialista em patentes do Google, a patente Agent descrevia um sistema para conectar várias partes de conteúdo com uma assinatura digital que representa um ou mais "agentes"(autores).

Essa identificação podia então ser usada para pontuar o agente com base em vários sinais de confiança e autoridade que apontam para o conteúdo do agente, e que a pontuação poderia ser utilizada para influenciar rankings de busca.

O Agent Rank permaneceu uma idéia teórica, sem um meio prático de aplicação, até à adopção pelo Google das normas schema.org para marcação estruturada. Em um post em junho de 2011, o Google anunciou que iria começar a apoiar marcação autoria. A empresa incentivada webmasters para começar a marcação de conteúdo em seus sites com as tags rel = "autor" e rel = "me", conectando cada parte do conteúdo a um perfil do autor.

A peça final do puzzle para Autoria para ser verdadeiramente útil para o Google encaixou com o lançamento do Google+ no final de junho de 2011. Os perfis do Google+ agora poderiam servir como plataforma de identidade universal do Google para conectar autores com seu conteúdo.

Num vídeo do YouTube publicado em agosto do mesmo ano, Matt Cutts e, em seguida, chefe do projeto de autoria Othar Hansson deu instruções explícitas sobre como os autores deviam ligar o seu conteúdo com os seus perfis do Google+, observou que isso poderia resultar na apresentação da sua foto do perfil nos resultados de pesquisa, e pela primeira vez mencionou que - em algum momento futuro - dados de autoria poderiam ser utilizados como um factor de classificação.

Embora isto provocasse alguns problemas e dúvidas nunca respondidas, era aliciante: Através do seu perfil no Google+ relacionado com os artigos que escrevia no seu site, podia ganhar o prémio de ver a sua foto junto aos resultados e pesquisa no Google.
Mas como no Google não há bela sem senão, muitos autores desperaram porque, apesar de fazerem tudo conforme as regras, não viam a sus foto aparecer nas pesquisas, enquanto outros autores (mais famosos?) apareciam abundantemente, muitas vezes sem utilização da famosa tag.

Ao longo dos seus três anos de vida, a Autoria nas pesquisas passou por muitas mudanças que não detalharemos aqui, mas que, aliada à falta de respostas cabais, acabou por desinteressar os interessados (os Autores) da Autoria.

Por que razão o Google terminou o Programa de Autoria?

Durante toda a sua história Google tem repetidamente demonstrado que nada que ele cria é sagrado ou imortal. A lista de produtos e serviços do Google que foram abandonados é vasta.

Segundo a Google os dados de test colectados nos três anos de Google Autoria convenceram a Google que os resultados de autoria na pesquisa não estava retornando valor suficiente comparado com os recursos que levou para processar os dados e aponta duas áreas específicas em que a experiência de Autoria ficou aquém das expectativas:

1. Baixa taxa de adopção de autores e webmasters.
A participação na marcação de autoria foi fraco, e quase inexistente em muitos sectores. Mesmo quando os sites tentavam participar, muitas vezes faziam isso de forma incorreta. Além disso, a maioria dos proprietários de sites não técnicos sentiu que a marcação e ligação eram complexos demais.

Devido a estes problemas, no início de 2012, a Google começou uma tentativa de auto-atribuição autoria, em alguns casos em que não houve marcação ou hiuve marcação imprópria, ou nenhuma ligação a partir de um perfil do autor.
Está-se mesmo a ver o que isto ia dar...
As tentativas da Google em auto-atribuição de autores levaram a muitos casos amplamente divulgados de má atribuição, como Truman Capote sendo mostrado como o autor de um artigo do New York Times 28 anos após sua morte.
Claramente, as esperanças do Google de ser capaz de identificar os autores da web, conectá-los com o seu conteúdo e, em seguida, avaliar os seus níveis de confiança e autoridade como possíveis factores de classificação estava condenado ao fracasso.

2. Baixo valor para os pesquisadores.
No seu anúncio da eliminação das fotos dos Autores da pesquisa global no final de junho de 2014, John Mueller afirmou que a Google estava vendo pouca diferença no comportamento de "clique" em páginas de resultados de busca com trechos de autoria em comparação com aqueles sem autoria.
Isto apareceu como um choque (acompanhada, em muitos casos com descrença absoluta) para aqueles que sempre acreditaram que as fotos do autor traziam um nível superior de taxas de cliques.

Google authorshipÉ interessante verificar que desde o fim do programa de Autoria, mesmo assim, as fotografias do perfil (individual ou de empresa) continuam a aparecer nas pesquisas do Google mas em condições diferentes. O utilizador tem que estar ligado (logado) no Google+ e vê nas pesquisas no máximo duas fotos de quem tenha feito um post no Google+ e que utilize as palavras chave que
estão a ser pesquisadas.

Mas, mais uma vez, ninguém sabe bem o que se está a passar, portanto a única hipótese que tem é deitar-se a adivinhar...
 

 

Partilhe

Redes Sociais

As Redes Sociais e os sites de Bookmarking Social são, hoje em dia, uma parte importante da estratégia de divulgação e credibilização de qualquer site que pretenda melhores resultados nos motores de busca. O registo e publicação periódica nestes sites faz parte dos nossos pacotes de optimização de sites dos nossos clientes.

Notícias