• 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Artigos sobre Webdesign e optimização de sites

A história dos Motores de Busca

Breve história dos Motores de Busca

Para que você tenha uma melhor noção sobre os motores de pesquisa quando ouve falar neles e quando os utiliza para pesquisar na Internet, ou melhor - na Web, nada melhor do que conhecer um pouco da sua história. Este artigo pretende dar-lhe uma resenha rápida sobre os mais importantes motores de busca da actualidade e em artigos seguintes tentaremos aprofundar um pouco mais a história de cada um.
Vamos então tentar perceber como tudo começou.

Vamos começar por esclarecer um equívoco comum. Você já ouviu falar indiscriminadamente em Internet e Web. Muitas pessoas acreditam que os dois termos significam a mesma coisa. Não é assim.


A Internet é uma rede mundial de redes de computadores. Foi inventada em 1969 por uma agência
governamental chamada E.U. ARPA, ou o Advanced Research Projects Agency. (Na verdade, o nome original da Internet era ARPANET.) Hoje em dia, você pode aceder a Internet através de linhas telefónicas, cabo, fibra ótica e outros meios de comunicação.

A World Wide Web (ou Web) é mais jovem. Surgiu por volta de 1990, quando os pesquisadores perceberam que podiam usar a Internet para conectar uma rede de páginas de hipertexto armazenados e torná-los acessíveis para as outras pessoas ao redor do mundo. Em Dezembro de 1990 Tim Berners-Lee apresentou ao mundo as ferramentas que tinha desenvolvido para que tal fosse possível: o primeiro navagador web (Browser) chamado precisamente WorldWideWeb (mais tarde rebatizado de Nexus para evitar a confusão de nomes), baseado no HyperText Transfer Protocol (HTTP) e no HyperText Markup Language (HTML).
Estavam assim criadas as condições necessárias para que você possa estar hoje a ler este texto no seu computador. Através da Internet. Utilizando uma das suas aplicações - a Web.

A World Wide Web é, de longe, a aplicação mais utilizada da Internet. O correio electrónico (e-mail) é
outra aplicação da Internet que você provavelmente usa todos os dias.

Todos os usuários da web utilizam HTTP ou o protocolo de transferência de hipertexto, para navegar de um site para outro. Olhe para a barra de endereços no topo do seu navegador. Você verá que o www é precedido por http://. Isto diz-lhe que você está na World Wide Web e que você está a usar o
protocolo de transferência de hipertexto.

É importante entender a diferença entre a Internet e Web para que você possa compreender totalmente como funcionam os motores de busca. Embora os motores de busca usem a Internet, eles não buscam a Internet inteira. Tipicamente, os motores de pesquisa apenas pesquisam sites web na World Wide Web.

Os Jogadores Mais Poderosos, ontem e hoje

Para uma indústria relativamente jovem, o mercado dos motores de busca já tem um passado muito
razoável! Apresentamos um rápido resumo dos pontos mais importantes na cronologia deste mercado.

1993: O primeiro motor de busca amplamente aclamado, o World Wide Web Wanderer, aparece. Criado para medir o crescimento da Web, ele realiza seu trabalho até 1997. As estatísticas compiladas por este motor de pesquisa ainda estão disponíveis na Web hoje.

1994: WebCrawler entra em cena. O banco de dados WebCrawler original contém apenas 6.000 sites. AOL - um nome que você provavelmente reconhece - compra o WebCrawler em 1995, mas vende-o logo dois anos depois ao Excite.
Infospace, o seu atual proprietário, compra o WebCrawler quando o Excite declara falência.

1994: Outro poço de energia, o motor de busca Lycos, lança com 54.000 documentos indexados. O motor de busca Lycos ainda é um jogador hoje, mas mudou de mãos várias vezes. Actualmente, é uma subsidiária da sul-coreana Daum Communications Corporation.

1995: AltaVista aparece em cena. AltaVista (ou AV) é o primeiro motor de busca a incluir recursos
de pesquisa multilingue. Depois de ter mudado de mãos várias vezes, AltaVista passa a ser propriedade da Overture Services. (Overture é de propriedade da Yahoo!.
O AltaVista mantém seu status como o rei das pesquisas até o lançamento do Google.

1998: Larry Page e Sergey Brin introduzem ao mundo o Google, que dispara rapidamente ao topo dos rankings dos motores de pesquisa. (O nome vem da palavra "googol", que é o nome para o número 1 seguido de 100 zeros.) Banco de dados do Google agora inclui milhares de milhões de páginas Web e a maioria dos especialistas concorda que o Google beneficia mais de 50% do total do tráfego do mercado de pesquisas. Daqui a importância que representa para qualquer site web uma boa presença no Google.

2008: Tom Costello e Anna Patterson desenvolvem e lançam o Cuil com grandes expectativas e com um sentido inovador no mercado das pesquisas que, segundo afirmam, pesquisa mais páginas na web do que qualquer outro - 3 vezes mais do que o Google e 10 vezes mais do que a Microsoft.

2009: É lançado o novo motor de busca da Microsoft, o Bing. É o resultado do trabalho da Microsoft
especificamente no mercado das pesquisas e segue-se às anteriores experiências desta empresa com o MSN Search, Windows Live Search e Live Search.

É neste ponto que as coisas se encontram agora, com o Google, de longe, o motor de busca mais
utilizado na Internet seguido do Yahoo! e do Bing.

No entanto, as coisas mudam rapidamente, com as empresas constantemente comprando, vendendo e criando novos mecanismos de busca. É, por isso, importante para o dono de qualquer site web manter-se a par de quais os motores de busca estão a ganhar ou a perder popularidade.

Search Engines versus Diretórios

Você deve estar a perguntar-se por que não está o Yahoo! na cronologia anterior. é porque o Yahoo!
começou como um diretório, não um motor de busca.

Enquanto os índices de motores de busca são compilados por computadores, os directórios são listas categorizadas de sites compiladas por seres humanos. Antes que seja aceite, cada site listado num diretório é cuidadosamente examinados e considerado aceitável para a colocação numa categoria específica.

Algumas pessoas argumentam que porque os diretórios são compilados por seres humanos, eles são limitados porque eles não oferecem como resultados de pesquisa como muitos motores de busca. No entanto, você verá que os resultados da pesquisa apresentados pelos diretórios muitas vezes podem ser muito mais úteis do que os resultados da pesquisa apresentados pelos motores de busca.

O diretório mais popular na Web é o Yahoo!, fundado em 1994 por David Filo e Jerry Yang. Começaram Yahoo! em dois computadores num trailer no campus da Universidade de Stanford, inicialmente utilizando-a para registar os seus próprios interesses. Foram surpreendidos pelo rápido crescimento e constituíram uma empresa em 1995 com um investimento inicial de quase US $ 2 milhões. Yahoo! É um acrónimo para Yet Another Hierarchical Officious Oracle.

Num esforço para diversificar, o Yahoo! resolveu usar o motor do Google para fornecer aos utilizadores resultados da pesquisa primária. No entanto, em 2004, o Yahoo! Revelou seu próprio motor de pesquisa totalmente novo.

Você ainda pode pesquisar no directório Yahoo! e continua a ser útil. Se você realizar uma pesquisa em http://www.yahoo.com, os resultados que obterá são derivados do Yahoo Search Engine. No entanto, você pode obter resultados de busca do Yahoo Directory, iniciando uma busca no http://dir.yahoo.com.
Actualmente, e fruto do acordo recentemente realizado, os resultados de pesquisa do Yahoo! são
fornecidos pelo Bing.

O Open Directory Project (OPD) é talvez o segundo diretório mais popular na Web. É elaborado por mais de 50 mil voluntários que tem já indexados quase 4 milhões de sites. O diretório contém um pouco menos de 500 mil categorias, que podem ser pesquisados por palavra-chave ou categoria.

Devido aos recursos limitados do Open Directory, uma busca de resultados através de seu site pode ser demorado e complicado. No entanto, alguns motores de busca incluem listagens do Open Directory nos seus resultados de pesquisa secundária.


NOVAimagem - Criação de sites e Optimização de sites
 

Partilhe

Site ou página?

No que diz respeito aos motores de busca, para nós, cada site dos nossos clientes não não é um site mas vários - tantos quantas as páginas que tem. Confuso? Não fique. A optimização também passa por aí. Se cada página do seu site for tratada como um site independente tem mais hipóteses de ser indexado para vários critérios de pesquisa.

Notícias