• 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Notícias sobre o mercado de webdesign e seo

Inventor do rato morreu aos 88 anos

O engenheiro e pioneiro da informática Douglas Engelbart morreu na quarta-feira à tarde, aos 88 anos, na sua casa de Atherton, em Silicon Valley, no estado norte-americano da Califónia.

Douglas Engelbart inventor do rato para computadoresDouglas Engelbart acreditava que as máquinas podiam ser usadas como um complemento do intelecto humano.

Engenheiro eletrónico de formação, entrou para a história em 1968 quando apresentou publicamente o primeiro rato de computador. Era de madeira e tinha apenas um botão. O cabo que o ligava ao computador esteve na origem do nome do dispositivo.

O caminho de Douglas Engelbart não foi fácil. Precisou de quase dez anos para encontrar alguém que levasse a sério as suas ideias.

Só em 1963 conseguiu o financiamento necessário para construir um laboratório onde criou um sistema que usava ferramentas novas como um rato para seleção no ecrã, tele-conferência em ecrãs partilhados, ligações por hipertexto, processador de texto, e-mail, sistemas de ajuda online e um ambiente de janelas.

O trabalho do engenheiro e da sua equipa ajudou a lançar as bases sobre os quais se ergueu a informática moderna.

As suas pesquisas incidiram sobre a videoconferência, a teleconferência, o correio electrónico, as "janelas" e as ligações de hipertexto, mas ficou sobretudo conhecido por ter inventado o "rato".

A patente do "rato, que se apresentava inicialmente como uma caixa em madeira com duas rodas de metal, foi pedida em 1967 e concedida em 1970.

Contudo, o invento de Douglas Engelbart não teve grande sucesso porque na época a maioria dos computadores utilizavam apenas textos sem cursor na tela. O centro de investigação do norte-americano acabou por fechar. Só nos anos 80 e com a Apple o rato passou a fazer parte dos atuais computadores.

Partilhe

Novos mercados na Lusofonia

Ao longo dos nossos catorze anos de existência já ajudámos centenas de clientes na sua aventura na Internet, ajudando-os a conquistar novos clientes e a chegar a mercados que, de outra forma, só conseguiriam com enormes custos. Através da nossa rede lusófona descobriram novos mercados, quer nos países de língua portuguesa, quer mesmo nas comunidades lusófonas residentes em países estrangeiros.

Artigos